Sem eira nem beira: 8 expressões populares vindas da arquitetura

Atualizado: Mar 12


Há quem ache que a arquitetura se resume a prédios envidraçados e casarões aqui em terras tupiniquins, mas você sabia que a Arquitetura também tem participação no repertório de ditos e expressões da Língua Portuguesa usadas no cotidiano? Selecionamos as 8 expressões a seguir, para compartilhar com vocês seus significados e origens, ainda que hipotéticas (mas tudo bem para uma conversa com amigos de fim de semana).

1. Sem eira nem beira

"Fulano não tem eira nem beira."

No período colonial e um pouco adiante na história era muito comum as pessoas usarem esses adereços para demonstrar o quão rica a família era. Os telhados das casas dos endinheirados tinham um adereço triplo, com eira, beira e tribeira. Quanto mais eiras o telhado a tinha, maior era o prestígio da família e seu dinheiro. Já ao contrário, quem não tinha boa renda não conseguia colocar esse adereço no seu telhado, mantendo somente a tribeira (o telhado propriamente dito, nosso famoso beiral). Essa expressão indica pobreza e veio da arquitetura. Você pode achar que é devido aos nomes de elementos do telhado, mas o significado também pode ser outro:

Há outra hipótese, que remete à agricultura: O terreno no qual os cereais eram debulhados e secos era denominado eira; beira, por sua vez, seria a beirada desse terreno. Quando o terreno não possuía beira, os grãos eram carregados pelo vento, deixando o dono em prejuízo.



Mas, voltando à primeira versão: o telhado de casas antigas dos endinheirados tinha um telhado triplo, com eira, beira e tribeira. Os menos afortunados acabavam construindo um telhado composto apenas por tribeira, que é a parte mais alta do telhado.

2. Sair pelo ladrão

“Estava cheio. Tinha gente saindo pelo ladrão.”

Para expressar alguma coisa em grande quantidade, usamos essa expressão, que nada tem a ver com a prática de roubo ou furto. Acontece que no sistema hidráulico, ladrão refere-se ao tubo ou saída para que se faça o escoamento do excesso de líquido, nas caixas d’água por exemplo. Ao dizer que algo está saindo pelo ladrão, deduz-se que seja um exagero para dizer que aquilo está tão cheio a ponto de transbordar.

3. Feito nas coxas

“Fulano, entregue outro relatório. Pois este foi feito nas coxas!”

[normalmente o estagiário escuta muito isso]

Usamos essa expressão para dizer que um trabalho foi feito sem capricho. Há uma explicação que se refere ao período colonial no Brasil, na qual muito se produzia telhas do tipo capa e canal, moldadas nas coxas de escravos. Quando essas telhas eram moldadas em diferentes coxas, o resultado eram encaixes imperfeitos. A falta de padrão gerada teria dado origem a esse jargão popular. Mas o arquiteto e superintendente do Iphan, José La Pastina Filho, afirma que é um mito: "Para confirmar nossa convicção das inconsistências da assertiva popular (...) tomamos as medidas das coxas de um homem com 1,80 m e verificamos que, usando-a como molde, só seria possível a fabricação de uma pequena telha com 36 cm de comprimento".

4. Menos é mais

“Menos é mais.”

O arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe (1886-1969) certamente ficaria espantado com a fama que ganhou sua frase "menos é mais". Mies pode até não ter sido o único a utilizar essa expressão, porém ele a incorporou e a popularizou. A citação diz respeito à arquitetura racionalista, praticada por Mies, com preceitos de minimalismo. Hoje em dia, no entanto, essa frase vai muito além do mundo da arquitetura, pois em diversas situações do dia-a-dia, recorremos a ela quando queremos dizer que dá para viver feliz com menos do que temos ou esperamos, ou alertar que é melhor não exagerar.

5. Casa da mãe joana

“Comporte-se, Fulano, que aqui não é a casa da mãe Joana!”


Essa expressão popular está relacionada a um lugar sem regras ou normas de comportamento, ou seja, dominado pela bagunça. O historiador Luís da Câmara Cascudo afirma que a tal Joana da frase seria em referência a Joana I, rainha de Nápoles e condessa de Provença, no século XIV. Explica-se que, no ano de 1347, Joana I regulamentou os prostíbulos da cidade de Avignon, na França, onde vivia refugiada. Uma das particularidades desses locais seria possuir uma porta pela qual todos poderiam entrar. Por fim, a "casa da mãe Joana" ganhou conotação de bordéis ou de locais onde há confusão.




6. Chato de galocha

“Fulano é um chato de galocha.”

O chato de galocha é aquela pessoa sem noção, que extrapola os limites da chatice. A expressão tem relação com o costume de usar botas de proteção em dias de chuva, as denominadas galochas, que também são usadas nas obras. Acontece que muitas pessoas não retiravam essa proteção ao entrar em casa, sujando de lama o piso.

Provavelmente, é o incômodo mais atemporal que vocês verão: Quem nunca quis uma sapateira na porta de casa para o marido e os filhos deixarem os sapatos sujos do lado de fora?

7. Cuspido e escarrado

“Você é cuspido e escarrado ao seu pai.”

Essa expressão é usada quando vemos uma pessoa idêntica à outra. O termo original era “esculpido em Carrara”. Por sua nobreza, o mármore de Carrara, uma região da Itália, era o predileto dos mais renomados escultores do período artístico do Renascimento, pois permitiam cortes mais bem feitos. Conta-se, inclusive, que o pintor Michelangelo, ao terminar sua escultura de Moisés, ficou entusiasmado com o resultado, de modo que questionava a estátua, dizendo: “Por que não falas?”.



8. Tirar o cavalo da chuva

“Você não vai. Pode ir tirando o cavalo da chuva.”

Quando se fazia uma visita a alguém, era parte das regras de etiqueta deixar o cavalo na frente da casa do anfitrião, de modo a sinalizar que não era intenção do visitante tomar muito de seu tempo, já estando de saída. Porém, quando a visita era agradável, o próprio dono da casa sugeria-lhe que tirasse o cavalo da frente, protegendo-o da chuva ou do sol. Por isso, essa expressão é usada para dizer à pessoa que desista de suas pretensões.

Aliás, essa era a expressão favorita da minha mãe quando eu era pequeno...


E você, conhece mais alguma expressão ou outro significado para as que colocamos no post?

Comente aqui embaixo nos comentários! Se gostou e descobriu algo que não sabia, compartilhem com seu parente que adora usar esses ditos!

Fontes:

https://www.uol.com.br/universa/listas/10-expressoes-curiosas-e-ditos-populares-com-origem-na-arquitetura.htm

http://www.argusarquitetura.com.br/blog-argusarquitetura/10-ditos-populares-originados-na-arquitetura

https://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/a-verdadeira-historia-da-expressao-cuspido-e-escarrado-2/

https://www.recantodasletras.com.br/artigos/4544346

#escritorioarquiteturabrasilia #escritórioarquiteturabrasília #arquitetosbrasília #matérias #curiosidades

188 visualizações
Fique por Dentro