Dicas para envio de currículos de arquitetura

Atualizado: Mar 12


O momento do envio do currículo é a chance que você tem de causar aquela primeira boa impressão. Basicamente, uma boa apresentação é aquela que aborda seus pontos fortes e como eles podem ser aplicados na atividade que você deseja exercer.

Dividimos esse tema em 3 tópicos: apresentação, currículo e portfólio.

Reunimos um relevante material e esperamos poder ajudar você nessa jornada.

Se você gostar das nossas dicas, dê aquela forcinha, seguindo nosso instagram:

@numenarquitetura

1. APRESENTAÇÃO:

Não seja frio ou extremamente formal:

Você não deve usar gírias ou ser descolado, mas precisa ser agradável. Frases como “segue currículo em anexo” ou “segue portfólio para avaliação” não são necessárias, além de serem robóticas e soarem como spam.

Seja sincero e específico:

Só elogie o trabalho e os projetos do escritório se você realmente conhecê-los. É fácil reconhecer quando estão sendo genéricos quanto a isso.

Nada de “adoro seu trabalho” ou “gosto dos seus projetos”. Por mais que você os conheça, pode parecer que você manda essa mensagem para todos e todo escritório quer ser tratado como único. Então, se for elogiar, toque em pontos específicos.

Crie conexão:

Conte uma breve história no corpo do texto falando sobre você, mas de um modo que se encaixe com a história do escritório. Use a criatividade.

Algumas sugestões são: Procure pontos em comum ou até mesmo complementaridades; fale de habilidades, valores ou pontos de vista que você notou que o escritório valoriza; fale de uma experiência de vida que o levou a conhecer o escritório.

O segredo aqui é aprofundar na pesquisa sobre o escritório e refletir sobre as informações. Quanto mais você exercitar isso, mais natural fluirá.

E lembre-se de ser objetivo.

Seja honesto:

Todos temos algo a oferecer, mas se você não sabe descrever isso de forma objetiva ou não se sente confiante, fale abertamente sobre como aquele emprego te ajudaria a crescer. E, é claro: sem usar clichês.

2. CURRÍCULO:

Fique moderninho:

Aquele formato clássico de currículo está com os dias contados no universo profissional da criação. Por isso, se seu currículo ainda é formatado seguindo as normas da ABNT, mude agora. Para definir cores, fontes e estrutura que vai usar, você pode adotar um desses dois caminhos: estudar o perfil dos escritórios onde deseja trabalhar e adequar a identidade visual a eles ou assumir sua própria identidade visual e enviar a quem se encaixa com sua personalidade.

Se achar conveniente, coloque uma foto sua mais divertida e divulgue suas redes sociais. Aliás, ter uma conta no linkedin pode ser uma ótima ideia.

Clareza:

Não se trata apenas de expressar sua criatividade. O design moderno permite apresentar as informações com mais clareza e objetividade. Aproveite para destacar seus pontos fortes.

Aqui cabe a mesma regra de sempre: seja objetivo. Você não terá muito tempo para apresentar, então escolha aquilo que te fará ser notado e lembrado e descarte informações dispensáveis e genéricas. Você pode até criar duas ou três versões de currículo, com informações diferentes para cada um.

Tome cuidado com os itens gráficos:

Os currículos moderninhos apresentam muitas vantagens, mas é preciso tomar cuidado para não fazer parecer um banner carnavalesco, cheio de cores e de formas. Além disso, você não deve forçar itens gráficos que, no fim das contas, não vão dizer nada: porcentagens aleatórias sobre seus conhecimentos e habilidades são um exemplo disso. Você pode até escrever que é um 5 estrelas em renderizações, mas jamais deve se considerar ser um 100% nisso.

Outro erro comum é ser excessivamente masculino, feminino ou infantil no design.

Vale tudo:

É claro que você dificilmente vai encontrar uma utilidade em saber cozinhar no momento de enviar seu currículo para um escritório de arquitetura. Mas algumas de nossas habilidades, além de falarem muito sobre nós, podem ser desejadas no mercado sem nos darmos conta disso.

Se você desenha bem, faz boas fotografias, se comunica bem, é bom com origamis ou entende de computação e impressão 3d, jamais subestime nada disso. Valorize e demonstre suas habilidades.

Dicas finais sobre currículos:

Aqui estão alguns exemplos de currículos com o visual criativo, para você se inspirar:

https://www.archdaily.com.br/br/793495/os-melhores-curriculos-de-arquitetura-enviados-por-nossos-leitores

E aqui estão algumas dicas para ajudar você elaborar o seu:

https://www.canva.com/pt_br/aprenda/49-modelos-de-curriculo-inspiradores/

3. PORTFÓLIO:

Envie o seu portfólio:

Essa é uma das dicas mais valiosas deste artigo. Por incrível que pareça, muitas pessoas não enviam um portfólio com seus projetos. De nada adianta descrever sua formação, se você não puder comprovar sua prática através de imagens de forma nítida e organizada. Saber se expressar graficamente é fundamental para a nossa profissão.

Formato:

Você pode enviar seu portfólio através de um arquivo ou criar um blog, site ou perfil em rede social com esse intuito e enviar o link.

Uma boa dica pode ser combinar os dois formatos: o formato de arquivo com um portfólio online, colocando o link no final do seu arquivo enviado.

Evite enviar um arquivo em formato de PowerPoint. Por mais que você tenha habilidade em diagramar seu portfólio nessa ferramenta, pode ser que alguns analisadores mais exigentes se perguntem por que você ainda não sabe usar o CorelDraw, o Adobe Illustrator, o Canva ou o Photoshop.

Tamanho:

Não existe uma regra. A questão é usar o bom senso. Você não precisa, e nem deve, colocar todos os seus projetos.

Eleja os seus preferidos e depois reflita sobre eles: Eles complementam o que você disse no currículo ou no corpo de texto do e-mail? Eles demonstram as habilidades que você citou? Se sim, existem outras formas de demonstrar essas habilidades?

Por exemplo, se você citou ser bom em fotografar, você pode incluir no seu portfólio diferentes ângulos e iluminações das suas maquetes físicas.

Diagramação:

Seja criativo. É claro que algumas empresas devem preferir uma apresentação mais formal. Mas você pode se destacar fazendo algo diferente do tradicional foto-texto-foto-texto, que tem um aspecto monótono.

Textos:

Se você não tem inspiração para descrever como aquele projeto é único, use palavras-chave. Não force seu avaliador a ler frases e termos clichê. Se isso está claro nas imagens, todo mundo vai perceber que você “preza pelo conforto dos usuários e a modernização do ambiente”. E seja econômico, a menos que você tenha apresentado a escrita como uma habilidade em destaque.

Autoria:

Se você acredita que o projeto mais adequado a ser apresentado é aquele feito em grupo na faculdade ou de um escritório no qual você trabalhou como colaborador, não há problema algum. Mas é preciso deixar claro o que você fez.

Se julgar necessário, ainda, fale sobre o que você aprendeu com aquilo que o restante da equipe fez.

Dicas finais sobre portfólio:

Aqui estão alguns exemplos de portfólios com o visual criativo, para você se inspirar:

https://www.archdaily.com.br/br/872461/os-melhores-portfolios-de-arquitetura

E aqui estão algumas dicas para ajudar você elaborar o seu:

https://www.aarquiteta.com.br/blog/carreira-de-arquitetura/portfolio-de-arquitetura-como-fazer/

https://www.aarquiteta.com.br/blog/carreira-de-arquitetura/portfolio-online-de-arquitetura/

Se você gostou das nossas dicas, dê aquela forcinha, seguindo nosso instagram:

@numenarquitetura

Lembre-se de eliminar os excessos e os clichês e abrir mão de apresentações que não serão úteis para o escritório que receberá seu currículo.

Elabore sua apresentação de maneira planejada: tenha claro qual é o seu objetivo com esse material e não seja genérico. Ao invés de imitar, pense nessa apresentação como uma oportunidade de deixar uma marca pela qual você será lembrado.

Tem alguma dica ou experiência pra compartilhar com a gente?

#escritorioarquiteturabrasilia #escritórioarquiteturabrasília #arquitetosbrasília

207 visualizações
Fique por Dentro