top of page

A Arquitetura das Olimpíadas de Tóquio | Conheça as instalações esportivas de 2020/2021

Atualizado: 29 de out. de 2021

No período entre o dia 23 de julho e o dia 8 de agosto, assistiremos ao festival esportivo das Olimpíadas, que será sediado pela capital do Japão.

Serão atletas de mais de 200 países participantes, disputando 46 modalidades esportivas.


Todos os jogos ocorrerão em 43 locais diferentes, divididos em dois setores da capital: a Baía de Tóquio e uma “Zona Herança”. Dessas 43 obras, 8 foram feitas especialmente para o evento e serão mantidas, 10 são temporárias e 25 foram reformadas.


O Japão é reconhecido por sua organização, e dessa vez não poderia ser diferente: as obras do evento foram entregues muito antes do prazo. Mais da metade dessas obras já haviam sido concluídas ainda em 2011, incluindo novas construções e reformas. Essas obras se destacam pela primazia arquitetônica e pela homenagem à cultura japonesa. Falaremos desse conceito dos japoneses e das principais atrações arquitetônicas que receberão as competições.


Antes de continuar sua leitura, saiba que também publicamos este conteúdo em formato de vídeo:



Características gerais dos projetos:


A ideia dos japoneses é criar um elo histórico entre a arquitetura atual e as obras dos jogos de 1964, sediados por eles. Por isso, foram feitas muitas revitalizações em Tóquio e, por outro lado, foram resgatados muitos elementos arquitetônicos que fazem referência à tradição japonesa.

 

Vila Olímpica


A Vila Olímpica de Tóquio tem 21 edifícios de 10 andares. Após o evento, o complexo será transformado em um bairro residencial de luxo.


Os prédios se destacam por seus interiores: O mobiliário dos apartamentos, que serão utilizados pelos membros dos comitês, foi fabricado com papelão reciclado; Os colchões foram feitos de polietileno e depois poderão ser utilizados na fabricação de outros produtos plásticos.



Estádio Nacional


O estádio tem capacidade para 60 mil pessoas, e receberá as cerimônias de abertura e encerramento dos jogos, além das provas de atletismo e de partidas de futebol.


A construção original recebeu as competições de 1964 e foi demolida em 2015. As novas obras, então, tiveram início em dezembro de 2016. O projeto inicial foi assinado pela Zaha Hadid, mas foi abandonado por questões orçamentárias.


O projeto final, mais econômico, foi assinado por Kengo Kuma. A arquitetura conta com estruturas feitas de materiais de construção tradicionais, como a madeira de cedro japonês.




Estádio Yoyogi


O estádio foi construído em 1964 e reformado para receber os jogos de handebol, badminton e rugby.


Com projeto assinado por Kenzo Tange, seu design é conhecido pelo seu teto suspenso. A ideia do arquiteto foi mesclar a linguagem clássica da arquitetura oriental com a estética modernista do Ocidente.


No corte transversal do estádio, podemos notar os traços característicos das construções japonesas; quando visto de cima, ele tem a aparência de uma concha de caracóis. Sua forma dinâmica e seu expressionismo estrutural são características marcantes desse ícone arquitetônico, que é palco do esporte e da moda.


Nós, arquitetos japoneses, nos nossos esforços em resolver os problemas que enfrentam o Japão moderno, dedicamos muita atenção à tradição japonesa e, no final, chegamos ao ponto que procuro esclarecer para você. Se, entretanto, pode-se detectar um traço de tradição em minhas obras ou naqueles da minha geração, então nossos poderes criativos não foram os melhores, então teremos que nos esforçar para evoluir nossa criatividade. Eu quero, de qualquer forma, que meus edifícios estejam livres do rótulo de "tradicional".

Kenzo Tange


















Centro Ariake

Esse centro de ginástica é uma estrutura inédita para as Olimpíadas de Tóquio e receberá as competições de ginástica artística, ginástica rítmica e trampolim acrobático.

O projeto é resultado de uma colaboração entre os escritórios Nikken Sekkei e Shimizu Corporation, e tem seu design inspirado em barcos de madeira.


Essa obra chama a atenção por sua estrutura baixa em madeira e tem 2.300 metros cúbicos de madeira, sendo considerado o maior teto de madeira do mundo. Seu propósito é mostrar o tradicional artesanato japonês. Após os jogos, sua estrutura será desmontada e devolvida para as autoridades dos locais onde a madeira foi recolhida.


“Como serão os Jogos Olímpicos, um evento global como nenhum outro, precisamos dar um passo a mais e mostrar o verdadeiro artesanato japonês.”

Nagamachi Yugo



Arena Ariake


Outra obra inédita é a Arena Ariake, que tem capacidade para 15 mil pessoas e abrigará os jogos de vôlei e basquete.


O projeto foi assinado por Kume Sekkei e conta com um teto convexo revestido por painéis solares. Seu revestimento cinza, na fachada, faz com que o edifício fique em destaque na paisagem da cidade.


Após os jogos olímpicos, a arena será palco de atividades esportivas e culturais.




Centro Tatsumi


Esse importante centro foi construído em 1990 e agora foi reformado para abrigar as competições de natação, nado sincronizado e saltos ornamentais. O espaço tem capacidade para 15 mil pessoas.


Sua reforma foi projetada pelo escritório japonês Environment Design Institute e propõe a utilização de parede modular, permitindo que a piscina principal seja dividida em duas piscinas menores quando for necessário.











Arena de Saitama


Essa arena é considerada uma das maiores instalações esportivas do país e possui capacidade para mais de 35 mil pessoas. Suas instalações irão receber as competições de basquete.


Conhecida como Saitama Super Arena, foi projetada por Nikken Sekkei e funciona como um “estádio transformer” e já recebeu vários prêmios por sua inovação tecnológica. O local serve como estádio, como teatro e como sala de concerto.


A transformação de uma função para outra leva apenas 20 minutos. Nesse tempo, movem-se: a estrutura retrátil, os bancos, as casas de banho, os corredores, os escritórios e diversos equipamentos que se encaixam perfeitamente na nova função. Até a altura dos painéis de teto pode ser ajustada de acordo com a ambientação acústica do evento desejado.





Nippon Budokan


Essa instalação foi inaugurada nos anos 60 e será palco das competições de judô e karatê.


Esse espaço tem uma forma ortogonal e foi projetado por Mamoru Yamada, com o propósito de fazer menção aos tradicionais templos religiosos do Japão. Outro destaque em seu design é o teto curvo, inspirado no Monte Fuji.




Estádio de Azuma


Esse estádio receberá os jogos de beisebol e softbol.


Essa instalação tem uma característica muito marcante: ela foi erguida sobre uma das regiões mais devastadas pelo terremoto, tsunami e acidente nuclear de Fukushima, em 2011. Por isso, ele foi chamado pelos japoneses de “o símbolo dos jogos da reconstrução“.



Sea Forest Waterway


Esse complexo foi inaugurado em 2019 para receber as competições de remo e canoagem, podendo acomodar até 24 mil pessoas.


A obra foi erguida em uma ilha artificial na baía de Tóquio e conta com uma piscina de oito faixas, que é protegida por uma barragem.


 

O que você achou das instalações dos Jogos Olímpicos de 2021? Você também gosta de acompanhar as competições?

 

Fontes:

2 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Unknown member
Aug 14, 2021

Com este texto esclareceu elementos que não pude escutar no audio do video . Obrigada. Continuem nesta vibe . Vou salvar o Blog

Like
Replying to

Oba!! Ficamos felizes!! 😀 Aproveita e se inscreve no nosso canal, pois estamos melhorando o áudio 😅 https://www.youtube.com/channel/UCgf5bSJ-f1dXyPQgdP_kTsA Até logo!

Like

Fique por Dentro

Gratos!

bottom of page