A Arquitetura da Copa do Mundo 2018

Atualizado: Mar 12


Que tal conhecer um pouco sobre a arquitetura dos 12 estádios que sediarão a Copa do Mundo na Rússia? Curiosidades, belas imagens e breves histórias...Vamos lá?

1. Lujniki:

Inauguração: 1956, 2017. Cidade: Moscou.

Arquitetura: Igor Rozhin, Oleksandr Fedorovych Khryakov e Nikolay Ullas.

Esse é o estádio que sediou a abertura e vai sediar a final da Copa. E já foi carinhosamente apelidado pelos brasileiros de Maracanã Russo, pela semelhança na forma das coberturas de ambos.

A estética da fachada do estádio manteve-se original, embora tenham sido acrescentadas a ela 72 colunas de aço, além de um friso com silhuetas de atletas olímpicos.

Painéis de LED foram instalados na cobertura, que teve que ser estendida. Com o acréscimo na cobertura, a troca de ar e a insolação foram diminuídas, fazendo com que o gramado fosse substituído por grama híbrida.

Uma pista de atletismo que dava a volta pelo campo foi retirada, possibilitando a abertura da arquibancada e a otimização de seu ângulo de visão.

2. Spartak:

Inauguração: 2014. Cidade: Moscou.

Arquitetura: Dexter Moren.

O estádio receberá quatro jogos na primeira fase (incluindo um dos jogos brasileiros), além de um duelo das oitavas de final.

A fachada desse estádio possui uma rede mutável, composta por losangos que representam escudos dos anfitriões do grupo Spartak Moscou, que pode formar diversos desenhos. Sua fachada se assemelha com a do estádio alemão do Bayern de Munique.

3. Krestovsky:

Inauguração: 2017. Cidade: São Petersburgo.

Arquitetura: Kisho Kurosawa.

Abrigará uma das semifinais, além da decisão do terceiro colocado.

Assemelha-se a uma verdadeira nave espacial. Esse estádio é capaz de manter sua temperatura a 15ºC e é reconhecido como um dos mais modernos do mundo. Conta com um teto retrátil e um gramado deslizante, sendo capaz de acomodar qualquer tipo de evento.

4. Níjni Novgorod:

Inauguração: 2018. Cidade: Nizhny Novgorod.

Arquitetura: Stroytransgaz.

Nele ocorrerão jogos da primeira fase, das oitavas de final e um das quartas de final.

Esse estádio conta com uma pele que protege os espectadores. Com um desenho inspirado em elementos naturais, sua leve estrutura é composta por finos pilares de seção triangular dispostas de maneira circular. É marcado por uma passarela conectada por escadas, evidenciando o fluxo do espaço.

5. Fisht:

Inauguração: 2013. Cidade: Sochi.

Arquitetura: Escritório Populous.

Contará com jogos da primeira fase, um das oitavas de final e um das quartas de final.

Seu nome é uma homenagem a um pico famoso entre os praticantes de alpinismo. O design da cobertura desse estágio também faz menção a essa formação de pico coberto de neve.

6. Kazan:

Inauguração: 2013. Cidade: Kazan.

Arquitetura: Escritório Populous.

Assim como o anterior, abrigará jogos da primeira fase, um das oitavas de final e um das quartas de final.

Além de jogos de futebol, esse espaço foi projetado para receber outros eventos esportivos e apresentações culturais. Seu desenho foi inspirado em uma flor de lótus.

7. Samara:

Inauguração: 2018. Cidade: Samara.

Arquitetura: TerrNIIgrazhdanproekt, GMP Architekten e AECOM.

Do mesmo modo dos dois anteriores, receberá jogos da primeira fase, um das oitavas de final e um das quartas de final.

Seu desenho faz menção às tradições da região onde está inserido, onde há um renomado setor aeroespacial. Sua cobertura de 60 metros de altura transmite uma mensagem de leveza estrutural. Um fato curioso é que ao seu redor planeja-se inaugurar a Cidade da Ciência, onde se poderá morar, trabalhar e estudar.

8. Rostov:

Inauguração: 2018. Cidade: Rostov do Don.

Arquitetura: Escritório Populous.

Receberá jogos da fase de grupos e um jogo das oitavas de final.

Uma das características mais marcantes dessa arena é a maneira como suas formas estão inseridas no contexto urbano, dialogando-se com o rio Don, em sua volta, o qual poderá ser apreciado pelos espectadores a partir de sua arquibancada.

9. Central de Ecaterimburgo:

Inauguração: 1953, 2018. Cidade: Ecaterimburgo.

Arquitetura: Não encontrado.

Participará apenas da fase de grupos.

Essa arena já vem sendo conhecida como “Puxadinho da Copa”, pois já foi reformada diversas vezes. Na última vez, ganhou arquibancadas extras, adaptando-se aos padrões estabelecidos pela FIFA. A parte original de sua fachada é uma das características históricas que foram mantidas. Uma das preocupações na última remodelação da arena foi a de fazer uma intervenção na fachada que funcionasse como pano de fundo da fachada original, sendo concebida de modo discreto e reentrante.

10. Kaliningrado/Baltika:

Inauguração: 2018. Cidade: Kaliningrado.

Arquitetura: Wilmotte & Associés SA.

Também ocorrerão nele apenas os jogos da primeira fase.

Essa é mais uma arena que carrega o conceito contemporâneo de multiutilidade, recebendo outros eventos esportivos e shows. Planeja-se que o entorno conte com um grandioso empreendimento residencial, com parques, cais e aterros em função do rio Pregola.

A história de sua ilha consiste em uma vida movimentada, com habitações e empresas que correspondiam a uma população em rápido crescimento, até que foi totalmente desfeita na Segunda Grande Guerra. Por isso, ficou deserta durante 70 anos. A arena hoje simboliza a ressignificação dessa ilha.

11. Mordovia:

Inauguração: 2018. Cidade: Saransk.

Arquitetura: Tim Hupe e SaranskGrazhdanProekt.

Nesse espaço ocorrerão apenas jogos da fase de grupos.

Essa arena chama atenção pelos tons alaranjados, que é uma homenagem ao artesanato dos povos mordovos. Marcada por um formato oval, foi projetada para que sua capacidade seja diminuída após a Copa, adaptando-se para receber quadras esportivas e academias de ginástica.

12. Volgogrado:

Inauguração: 2018. Cidade: Volgogrado.

Arquitetura: PI Arena, GMP Architekten e Stroytranga.

Essa é mais uma arena onde acontecerão somente jogos da fase de grupos.

Possui uma forma de tronco de cone invertido, e faz parte de sua fachada uma trama estrutural metálica, que lembra fogos de artifício durante a noite. Sua cidade é conhecida como Cidade Memorial, por sua forte participação na Segunda Guerra Mundial e sua reconstrução a partir de 1945, com traçados planejados, amplas avenidas e quarteirões marcados pela simetria.

Fontes:

http://interativos.globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/especial/estadio-lujniki

https://www.easports.com/br/fifa/news/2018/fifa-18-world-cup-stadiums

https://sportv.globo.com/site/programas/copa-2018/noticia/copa-do-mundo-2018-conheca-todos-os-estadios-que-serao-usados-no-mundial.ghtml

https://casavogue.globo.com/Arquitetura/noticia/2018/05/conheca-os-12-estadios-da-copa-do-mundo-da-russia.html

Qual é o seu predileto? Conte pra gente!


#escritorioarquiteturabrasilia #escritórioarquiteturabrasília #arquitetosbrasília #matérias #internacional

115 visualizações
Fique por Dentro